Postagens Recentes

Abril Azul: Conheça Mais Sobre o Autismo

Por 27 abril

Oii pessoal!!! Olha eu, Ana Ricarda, aqui novamente para falar de:

Abril Azul: Conheça Mais Sobre o Autismo

Abril Azul Conheça Mais Sobre o Autismo

Tudo bem com vocês? Espero que sim! Eu sempre venho aqui no Arrojada Mix falar sobre casamentos, convites, caixas, etc, mas hoje vamos falar de um assunto super sério e que merece nossa atenção. O mês de abril está terminando, mas independente disso durante todo o ano precisamos se conscientizar sobre assuntos que nos rodeia, e hoje vamos falar sobre: Autismo.
Com certeza você já ouviu falar disso, mas sabe do que se trata??

Estatísticas do Autismo:

De acordo com o jornal Correio, o Transtorno do Espectro Autista (TEA) atinge cerca de 70 milhões de pessoas em todo o mundo, sendo que uma a cada 68 crianças nasce com a deficiência. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), no Brasil, esse número chega a 2 milhões. Com causas ainda incertas, o TEA não tem cura, mas o diagnóstico e intervenção precoces são cruciais para aumentar as chances de desenvolvimento de habilidades cognitivas importantes para a vida de uma criança com esse tipo de transtorno. O mês de abril, denominado Abril Azul, foi escolhido para marcar a campanha dedicada à conscientização do transtorno.

Entrevista com uma mãe de criança com autismo:

Hoje vamos entrevistar uma mãe, aliás, uma mãe guerreira, porque é assim que precisam ser chamadas as mães que além dos desafios pertinentes à educação e criação dos seus filhos, ainda têm que ser fisioterapeutas, terapeutas, psicólogas, etc etc!!

Vamos conversar com Tamires Yasmin Cipriani, ela é mãe do Erick Luigi de 6 anos, eles moram em São João Del Rei- Mg e vai nos falar um pouco sobre o diagnóstico e tratamento de seu filho.

Abril Azul Conheça Mais Sobre o Autismo
Tamires e Erick Luigi

Abril Azul Conheça Mais Sobre o Autismo
Erick é uma criança feliz!! Olha que lindo sorriso!
💎Tamires, como você descobriu o autismo do seu filho?

As desconfianças começaram por volta de 2 anos e meio, mas junto com a desconfiança sempre vinha a negação, eu pensava que podia ser o jeito dele, os atrasos que tinha eram porque não estava no tempo dele e assim arrumávamos desculpas para não admitir a si próprios. Alguns meses depois uma amiga ao perceber que Erick estava separando os carros por cores e tendo alguns outros comportamento próprios do transtorno espectro autista nos alertou, mas mais uma vez não admitimos e não aceitamos. Anos se passaram e ele se desenvolveu muito bem, por algum tempo aquela desconfiança que nos pairava praticamente sumiu e os sintomas passaram a ser sutis e quase imperceptíveis, até que 2017 precisamos mudar ele de escola, foi numa mudança muito brusca, a sala tinham o triplo de crianças, ele não se deu bem com a professora, passou a estudar pela manhã e a mudança de rotina foi destruidora pra ele, expôs os sintomas novos e os antigos voltaram com tudo com uma intensidade muito maior e a desconfiança passou a ser explícita. Foi então que decidi sozinha procurar ajuda.

 💎Como a família, parentes e amigos receberam esse diagnóstico?

Eu precisei convencer minha família, porque aparentemente ele não parece ter nenhum transtorno, para quem não convive com ele como eu e a professora, parece ser um exagero, um absurdo, principalmente pelo fato do autismo dele ser leve, foi então que eu comecei a gravar os sintomas que só eu via, comecei a pesquisar pra mostrar pra eles e então começaram a admitir e aceitar. Meu parentes agiram como se a vida dele tivesse acabado, pediram pra procurar segunda, terceira opinião , choraram, mas eu entendo que todo mundo passa por uma fase de negação. Quanto aos amigos, a grande maioria se afastou de mim, eu digo que o autismo é um grande filtro de amizades, perdi muitos amigos, mas ganhei alguns que não sabia que podia contar, a grande maioria me julgou com neurótica e exagerada, recebi apoio de poucos amigos, posso dizer que ultimamente pude contar com amigas que até alguns meses atrás não era achegada, inclusive aquela amiga que me alertou primeiro e que ficamos anos sem amizade que tem me apoiado maravilhosamente.

 💎Foi fácil chegar nesse diagnóstico?

Não foi fácil, porque a grande maioria da comunidade médica e terapêutica não está preparada para isso, a realidade é que o autismo ainda é um grande mistério a ser desvendado. É muito cansativo nós como mães termos que provar que seu filho tem um problema e que você não é louca e exagerada, mas no fim por eu estudar muito sobre o assunto, catalogar os sintomas e fazer relatórios, encontrar profissionais que são da área, que o analisaram detalhadamente , eu já posso dizer que ele está no espectro sim. Mas foi desgastante pra chegar nessa conclusão.

💎Como é o seu dia a dia, casa, compromisso e os cuidados com seu filho?

Ainda estamos nos organizando, o autista precisa de uma rotina antecipada para poder ter um dia produtivo, ele precisa saber oque vai fazer no dia, como vai ser, então temos hora pra acordar, comer, dormir , tudo bem organizado, Erick tem terapias quase todos os dias da
semana, neuropsicopedagoga, terapia ocupacional de integração sensorial, fonoaudióloga, psicopedagoga, terapia ocupacional ambulatorial e robótica, então requer um verdadeiro malabarismo pra organizar tudo isso, sem contar o fato de que em casa ele também precisa ser estimulado, porque o ideal para uma intervenção ser satisfatória, ela deve ocorrer 20 horas por semana. Então é todo um trabalho diário que envolve as terapias, a escola e nós aqui em casa, ainda não está o ideal, mas estamos caminhando e já estamos vendo resultado.
Abril Azul Conheça Mais Sobre o Autismo
O Pai, Rodrigo, estimulando Erick  brincando de massinha de modelar 


💎Como tem sido lidar com as dificuldades na escola?

No começo do ano foi muito estressante e desafiador, ele estava numa escola que não respeitava sua condição especial, o encarava como preguiçoso e ele não demonstrava nenhum avanço, apesar de ser a escola que ele pediu pra ficar, chegou uma hora que não deu mais, não queríamos trocar, justamente por causa do fato de grande mudanças trazerem muitos prejuízos, eu tinha medo de acontecer igual em 2017, mas no fim encontramos uma escola maravilhosa, que o respeita, ajuda e faz ele superar suas dificuldades com paciência e está muito empenhada no desenvolvimento dele.
Então posso dizer que estamos conseguindo lidar muito bem, nesse contexto atual, com suporte adequados tanto terapêuticos, quando escolar.

💎Como é ser mãe de um menino autista? Como é ser mãe do Erick Luigi?

Cada dia é uma surpresa, trás muitas dificuldades, mas também muita alegria, são seres tão puros, tão sinceros, ele não vai falar nada pra me agradar, tudo que ele fala é o que ele sente, então quando ele expressa algum sentimento pra mim eu sei que seja quando for vai sempre ser verdade. Eu tento entender como é o mundo dele e tornar a vida dele o mais leve possível, o que ele precisa é amor e compreensão e isso a gente tem de sobra. É um prazer enorme ser a mãe dele e se pudesse escolher, escolheria ser mãe dele, com autismo, com toda carga emocional, é um privilégio poder ser mãe dele, e faria tudo de novo.
Abril Azul Conheça Mais Sobre o Autismo
Erick sendo estimulado por usar tinta guache
 💎Você gostaria de deixar uma mensagem para os nossos leitores?

Falem sobre o autismo, a informação vai desmistificar todo e qualquer pensamento errôneo sobre o autismo, quantas crianças vivem anos sofrendo, são adultos incompletos, por não ter tratamento? Quanto preconceito existe em volta dos transtornos mentais que impedem as pessoas de admitirem pra si que seu filho ou si próprio tem um problema e precisa ser tratado? Isso precisa acabar. Infelizmente o transtorno do espectro autista é uma realidade que só tende a crescer e cada vez mais terem os parentes e amigos nessa condição, cabe a nós apoiar. Acolham as pessoas, critiquem menos, só dê opinião quando for solicitada e use de empatia. Use o amor e seja amor, os pais e de autista e as crianças autistas agradecem, precisamos de apoio.

Se você quiser saber mais sobre esse assunto, sugerimos conhecer os seguintes sites:
(Andréa Werner, mãe do Théo, autista)

(Kaká Lobe,  Mãe do Matheus que saiu do espectro )

E se desejar falar com a Tamires, que tal acompanhar o Instagram que ela criou para compartilhar a evolução no tratamento do Erick? É só seguir- @erickbrincar

Deixem seus comentários, dê sua opinião, conte sua história, estou ansiosa pra saber o que acharam do assunto!
Abraço e até a próxima!!

Postagens Relacionadas

8 comentários

  1. Nossa adorei bastante a tua partilha, pois não sabia algumas coisas
    Beijinhos
    Novo post (Review Revlon Colorstay Gel) // CantinhoDaSofia /Facebook /Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderExcluir
  2. A gente sempre tem algo a aprender, né Sofia. Obrigada pela visita!

    ResponderExcluir
  3. Amei ler o post e ver que com amor muito carinho e dedicação é possivel vencer essa batalha.E sim apoiar com muito amor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, o amor é o mais importante pra poder superar as dificuldades.

      Excluir
  4. Gostei da transparência, a sinceridade.
    A entrevista incrível de uma mãe bem pé no chão mais ao mesmo tempo passou muita positividade sobre o tratamento a convivência e realidade.
    Parabéns e obrigada por compartilhar essa incrível experiência e rotina conosco.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom saber sobre o autismo, precisamos nos conscientizar sobre isso e nos dispor a ajudar e a conscientizar tbm! Obrigada pela partilha!

    ResponderExcluir
  6. Oi!!
    Parabéns pelo excelente post!! Este tema é muito importante e muito pouco falado. O autista merece todo nosso respeito.
    Bjo

    ResponderExcluir
  7. As crianças autistas são especiais e merecem muito amor!!
    Post lindo e informativo, parabéns!
    Beijos Fê
    www.bloglovers.com.br

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. É muito importante para mim e para o blog. Obrigado pela visita e carinho...